Inédita decisão de mérito da corte traz segurança jurídica para o campo em meio à estiagem e ao coronavírus


A 5ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul reconheceu o direito de dois produtores rurais de São Gabriel a requerer recuperação judicial. Os três desembargadores da câmara acolheram, por unanimidade, o recurso que solicitava a reestruturação. Foi a primeira decisão de mérito da corte gaúcha favorável ao tema.

No julgamento, a desembargadora Lusmary Fátima Turelly da Silva, relatora do caso, seguiu entendimento do Superior Tribunal de Justiça, considerando ser possível a recuperação para os produtores, ainda que sem o cumprimento dos requisitos mínimos estabelecidos pela Lei 11.101/2005.

- "Como condição para o requerimento da recuperação judicial pelo produtor rural, exige-se sua inscrição no Registro Público de Empresas Mercantis da respectiva sede, condicionada à comprovação de exercício da atividade rural há mais de dois anos, mesmo que anteriormente à data do registro", enfatizou a desembargadora no relatório, acolhido pelos demais membros da Câmara.

Para o advogado Guilherme Caprara (foto abaixo), sócio do escritório Medeiros, Santos & Caprara Advogados, que atuou no caso, a medida traz maior segurança aos produtores rurais do Estado, sobretudo nesse momento de crise provocada pela estiagem e pelas consequências da pandemia do novo coronavírus.


- "É uma grande vitória para o setor rural. Trata-se do primeiro entendimento de mérito no tribunal a respeito. Antes, tínhamos uma decisão provisória da 6ª Câmara Cível. Agora, ambas as turmas especializadas em recuperação judicial estão alinhadas, o que possibilita o acesso a esse instrumento, bem como uma sobrevida diante das dificuldades", avalia Caprara.

O especialista prevê que uma quantidade significativa de produtores buscará a reestruturação, diante dos prejuízos atuais. "Desde 2012, não vivenciávamos tamanha quebra no plantio. As perdas no Estado serão de R$ 15,5 bilhões no Valor Bruto de Produção, somente nos grãos de soja e milho. Sem contar os danos da pandemia, que ainda estão sendo contabilizados", destaca Guilherme Caprara.

Foto: Divulgação.
Com informações do jornalista Antônio Felipe Purcino.

Leitores no Site

O Blog no Facebook

Porquê ficar em casa em Santiago?

Porquê ficar em casa em Santiago?

Whats da Vigilância (Coronavírus)

Whats da Vigilância (Coronavírus)

CoronaWhats em Santiago!

CoronaWhats em Santiago!

Farmácia Básica por WhatsApp

Farmácia Básica por WhatsApp

Atendimentos de Saúde!

Atendimentos de Saúde!

Seguir por email

Vereador Eleito - Gestão 2017-2020

Vereador Eleito - Gestão 2017-2020

Rafael Nemitz Eventos

Rafael Nemitz Eventos

Kayo e Jana Fotografia

Advocacia de Qualidade!

Advocacia de Qualidade!

Basic Store em novo endereço!

Basic Store em novo endereço!

Churrascaria Prodócimo

Churrascaria Prodócimo

Culinária Japonesa em Santiago

Culinária Japonesa em Santiago
Cardápio disponível ao CLICAR NO ANÚNCIO!

Imembuí Microfinanças

Psicologia nas Redes Sociais

Psicologia nas Redes Sociais
Acompanhe Caroline Antolini no Face e Instagram

Novidade Médica em Santiago

Novidade Médica em Santiago

Life Clínica Médica e Estética em Santiago!

Life Clínica Médica e Estética em Santiago!

Vida Sonora em novo endereço!

Vida Sonora em novo endereço!

Cebola e Salsa. Prove!

Cebola e Salsa. Prove!

Xeque Mate Monitoramento e Segurança

Xeque Mate Monitoramento e Segurança

Guindastes Campanher

Guindastes Campanher

Farmácia Agafarma em Santiago!

Farmácia Agafarma em Santiago!

Sorrifácil Santiago

Madalosso Gás e Água

Fasp Art Alimentos, Buffet e Decoração

Fasp Art Alimentos, Buffet e Decoração

Previne Cursos e Treinamentos

Previne Cursos e Treinamentos

Escológica Educação Infantil

Escológica Educação Infantil

Mais Lidos da semana

Mais lidas nos últimos 30 dias